Textos



Antonio de Albuquerque
Foto Google

Viajando em recordações
Pela infinita graça do amor
Extasiado saí a te procurar
No céu das reminiscências
Na singela cabana aonde
Felizes moramos, ainda senti
Teu cheiro e carícias arraigadas
Que nunca saíram de mim,
Na varanda avistei a chuva
Molhando a roseira
No jardim perscrutei as flores,
Que nada revelaram
Indaguei à laranjeira em flor,
Em nada adiantou
Ainda no vergel, investiguei
A misteriosa rosa,
Respondeu que você se
Entrelaçara entre flores
Para se revelarem mais
Perfumadas e encantadoras
Nas acácias senti teu
Perfume, encanto e ternura
As borboletas azuis e
Colibris por ti se encantaram
Qual passarinhos buscando
Refúgio no jardim
Mas, os segredos e
Mistérios, não revelaram
Roguei, então, a natureza
E ela me elucidou
Em sublimes mistérios
Que ainda não desvendei
Mas, a roseira, inquerida,
Apontou o caminho
Onde moram estrelas e
Passarinhos encantadores
Lá, encontrei o Sol,
Tingindo de cores o infinito
Na sublime certeza de renascer
E eu de te amar
Nessa viagem te reconheci
Nos astros, muito além
Entre estrelas, colibris e
Borboletas azuis e amarelas
Nosso amor enleado
Entre misteriosas flores
E mantos de luz testemunhando
Nosso sonho de amor
Assim, na imensidão da luz,
Tive a certeza que sempre serás
Meu grande inolvidável amor,
Trazendo de volta a felicidade
 
Antonio de Albuquerque
Enviado por Antonio de Albuquerque em 30/06/2019
Alterado em 30/06/2019
Copyright © 2019. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários


Imagem de cabeçalho: Sergiu Bacioiu/flickr