Textos


Foto Google
 
Antonio de Albuquerque
11.11.19
Feliz  Reencontro

A miscigenação no Brasil é uma realidade na formação do grandioso povo brasileiro. A maioria das nossas famílias são originárias de outras regiões e em grande parte de outros continentes e a família de Piter Siegel não foi diferente. Nascido numa família americana radicada no Rio de janeiro, no bairro da Lagoa Rodrigo de Freitas. Em um desastre de automóvel, Piter perdeu os pais e uma irmã de nove anos, Julie com a qual tinha profunda ligação, visto que era sua companheira de brincadeiras e travessuras de criança. Adoravam visitar os pontos de destaque da cidade maravilhosa. Aos sete anos Piter foi com os avós paternos morar nos Estados Unidos em San Diego na Califórnia deixando no Rio alguns familiares próximos, entre estes Susany uma prima que veio ser mãe de Laura, uma bela criança que aplicada nos estudos, aos vinte e cinco anos se formou em medicina.

Piter guardava sofridas lembranças da perda dos pais e da irmã, por esta razão nunca voltou ao Brasil, embora alimentasse um sonho de rever seus parentes no Rio de Janeiro. Chegando o momento de servir as Forças Armadas, Piter entrou para a academia da força aérea e após a formatura serviu no Afeganistão por três anos, recebendo a patente de capitão aviador e no ano seguinte voltou à San Diego, onde residia com seus avós. De volta à San Diego Piter resolveu vir ao Rio de Janeiro visitar sua família de origem. Laura o esperava no Galeão e foi motivo de alegria para ele que recebeu de Laura, convites para saírem juntos. Ela queria mostrar-lhe a cidade e estreitar laços de amizade, e assim começaram a visitar, praias, teatros e bons restaurantes, inclusive perto de casa na Lagoa. Laura ficou alguns dias sem ir ao consultório animada com a companhia do primo. Laura sabia que em breve ele voltaria para os Estados Unidos e ela para seu trabalho e já sentia saudade. Ele também confessou que iria sentir muito sua ausência. Estavam tão habituados a saírem juntos e sentiam a ausência um do outro. Piter olhava Laura como uma pessoa muito especial e com o tempo os dois pareciam até namorados, mas nunca tocaram nesse assunto, apesar de ela ser uma carioca de grande beleza e elegância.

A possibilidade de serem namorados parecia muito remota, apesar de Piter ser um rapaz muito galante. Nas longas conversas que mantinham, em alguns momentos sem razão aparente Piter havia trocado o nome de Laura por Julie sendo motivo de alguns sorrisos. Há uma semana do regresso de Piter, os dois foram visitar a Quinta da Boa vista e Jardim Zoológico e, em alguns momentos Laura descreveu lugares com riqueza de detalhes, trazendo a memória de Piter lembranças de quando menino em companhia de sua irmã Julie. Sentados a um restaurante no Zoológico numa animada conversa Laura disse que sentia uma energia indicando que havia estado ali em sua companhia e Piter, nesse momento, sem perceber a chamou de Julie e Laura também disse estar tendo a mesma sensação, num momento mágico e transcendental, tal qual despertando de um sonho encantado Piter perguntou: “Afinal o que somos em nossa amizade? “Creio que somos namorados, sorrindo respondeu Laura e chamou sua atenção: “Não sou mais Julie e sim Laura, seu amor. Nesse instante ele a pediu em casamento e ela respondeu que sim. Se abraçaram e caminharam de mãos entrelaçadas, confirmando realmente ser um grande amor.

Naquele momento de puro amor descobriram muita coisa em comum entre os dois e a revelação de que nada acontece por acaso, somos guiados pela Força Universal e já nos conhecemos há milhares e milhares de anos, somos imortais e a morte é apenas uma mudança. O lindo casal recebeu as bênçãos do padre João, numa Igrejinha na Ilha do Governador, numa simples cerimonia com a presença da família de ambos. “Minha querida esposa Laura, levarei você para ama-la e curar doentes na Terra de Tio San”. Os dois estavam alegres e felizes.







.
 
Antonio de Albuquerque
Enviado por Antonio de Albuquerque em 12/11/2019
Alterado em 06/12/2019
Copyright © 2019. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários


Imagem de cabeçalho: Sergiu Bacioiu/flickr